bio

Martin Herraiz nunca teve uma aula de composição. Foi vencedor do Prêmio Funarte de Composição Clássica (2012) e do Prêmio ME Lab (2015) e finalista das duas edições da NE/BAM Brazilian Composers’ Competition (Holanda, 2009 e 2011) e do Ossia New Music Composition Prize (EUA, 2016), entre outros. Trabalhou com ensembles e solistas como PIAP, Camerata Aberta, Claudio Cruz (Brasil), Nieuw Ensemble (Holanda), Ensemble Reconsil (Áustria) e Vertixe Sonora Ensemble (Espanha), entre outros. Co-dirigiu, de 2003 a 2005, a companhia experimental de música MEFISTO. Co-organizou em 2007 o V Encontro Nacional de Compositores Universitários (ENCUn), em São Paulo, que apresentou durante uma semana obras de mais de 50 compositores do Brasil inteiro (muitas delas estréias). Co-produziu em 2008 o CD de estréia do grupo paulista Sonâncias, Ressonâncias, com obras de 10 compositores brasileiros vivos, incluindo seu quarteto “misantrópicos I”. Em 2010 organizou a primeira apresentação brasileira do festival intercontinental 60×60 (www.voxnovus.com/60×60). Em 2013 foi editado o CD On Broadway (Cordelia Records, Reino Unido), contendo a obra “twelve scenes from a concerto”, uma “desconstrução topográfica” do Allegretto do terceiro concerto para piano de Bartók. Em 2014, com apoio do Programa Ibermúsicas, realizou residência artística em Viena (Áustria), onde sua obra “don’t look now” foi estreada pelo Ensemble Reconsil. Em 2015 foram lançados a caixa com 14 CDs Ensemble Reconsil Exploring the World (Orlando Records, Áustria), contendo a obra “cubist dances”, e o DVD Boulez+ (Selo SESC, Brasil), contendo a obra “relato de insônia”. Atualmente mantém o duo de improvisação Discórdio com o guitarrista e compositor Daniel Mendes. É bacharel em Design e Mestre em Música pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), com a dissertação de mestrado “O Estranho Perfeito: a Música Orquestral de Frank Zappa”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *